sábado, 5 de abril de 2008

surtay!

Ontem, a raiva e a frustração que eu senti me foram tantas que tive um colapso nervoso. Joguei as cadeiras da mesa da cozinha pra todos os cantos e tive que me controlar absurdamente pra não quebrar o resto da casa.
E agora sentada aqui na minha cadeirinha, fico me lembrando de como eu me senti relaxada, aliviada e calma após o episódio. É. Eu devo curtir uma selvageria.
Tudo bem. Cadê o Olcadil, o Rivotril, o Absinto e o Lexotan?
Essa noite eu estava surtada e, graças a Deus!, sozinha. Eu não quero nem ver no dia em que me encherem a paciência de vez. Eu jogo cadeira nos outros lá na faculdade mesmo.
Eu virei uma panela de pressão ambulante.
Eu já não sei mais dizer até que ponto vai o descaso das pessoas. Ou a falsidade. Ou a dissimulação. Ou todas essas bostas juntas.
Só sei que eu cansada de distribuir sorrisinhos socialmente engajados por aí.
Você cumprimenta o cara que, provavelmente, vai comer sua namorada. Você cumprimenta a garota que, certamente, vai dar pro seu namorado. Você cumprimenta todos os dias, todo o tempo, aqueles filhos de putas que, obviamente, irão te apunhalar pelas costas.
Mas você é sociável. Você é educado. Você tem alguma classe. Tem até um pouco de cultura. Sabe comer com garfo e faca e consegue limpar a própria bunda. Você tem um círculo social abrangente. Pode até se sentir infeliz como eu, mas está sempre por perto. Sempre disposto. Sempre alegre. Sempre altivo. Você está sempre "sempre".
Você olha os imbecis à sua volta, sorri amigavelmente pra todos e se lembra que não tomou seu comprimidinho de lítio pela manhã.
Ai, que neurose!

Um comentário:

Nereida disse...

Um dia dos meus.... muito próximo....sem a parte da cozinha partida..mas já esteve mais longe!!!

*