sábado, 18 de julho de 2009

vou-me embora pra... lá

Extenuei-me e quero sair daqui, não sei ainda pra onde eu vou, mas sei que vou ou que, ao menos, deveria ir, porque quero ser mais do sou, do que tenho sido, do que me tornei, do que almejo ser, do que me forçam ser e, sobretudo, ser mais do sou sem deixar de ser o que sou, mesmo que eu não seja nada.
Há algo lá longe que me chama, que me fascina, que me seduz. Muitos dirão que Lá não há nada de especial, que não passa de um mísero ponto na imensidão do mundo. Mas eu vejo nessa latitude desconhecida um pouco de tudo o que sou. Como se esse ponto travestido de uma entidade incógnita me tivesse criado e moldado à sua imagem e semelhança.
É o meu refúgio, a minha aldeia secreta. Só Lá me faz esquecer os problemas quando olho o horizonte, quando aprendo um pouco mais com a gente rude e trabalhadora, quando consigo ver o céu estrelado, por cima dos prédios, a acalentar os meus sonhos.
E por mais que me digam para não fugir, porque aqui é a minha terra, não é nesse universo apático em que me sinto bem. Distante dessa cidade horrorosa, recheada de pessoas mesquinhas e presunçosas, há olhos que reluzem mais do que as mais cintilantes constelações e há sorrisos sinceros que têm uma luz tão própria, tão radiante e tão pura que parecem vir da própria alma.
É lá que me revejo, é para lá que regresso quando o resto do mundo parece me voltar as costas e é lá que me reconforta como só algo muito especial consegue fazer. Só Lá é que consigo me sentir um pouco mais... EU.

9 comentários:

Diego disse...

" Há sorrisos sinceros que têm uma luz tão própria "
muito bonito o texto, parabéns ^^
esse lugar é meio tipo " nosso quarto " de ser hahahaha
tudo de bom!

Sr. Celofane disse...

você corre, foge, caminha rápido, quando abre a porta está no mesmo lugar que antes, lembra daqueles filmes B de terror de sessão da tarde? pois é...esse é o meu lá.
continuando o que disse por um scrrrapp, pode ser que você só escreva coisas interessantes e pode ser que eu esteja profundamente abalado por ter "recebido um e-mail" dizendo: cuide de você de forma um pouco mais grotesca, éla também escreve, como ninguém...

sarah disse...

boiei.

paulomaeda1 disse...

eu falo de forma tão torta assim?

sarah disse...

sim.
boiei no contexto do scrap e do e-mail.

nucci disse...

essa sensação de peixe fora da água desejada pode ser boa. por um lado ela nos agita daqui, sufocando, causando algumas crises que podem ser o próprio combustível para se chegar lá. na verdade, já se chegou lá, mas, por enquanto, não fisicamente. uma primeira relação entre o Si e o Lá foi estabelecida quando um pensou no outro. você já tem o lá consigo, tanto que me mostrou ele (no texto), só falta o lá te ter (se é que esse lá existe), isso sim sendo algo físico. o potencial precisa ser convertido em cinética, e vai, se a natureza (não plantinhas, mas sim 'naturalidade das coisas') achar merecido!

o acaso é mestre em me dar boas sugestões do que ler
até!

Sávio Damato disse...

"Um homem precisa viajar. Por sua conta, não apenas por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sobre o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir; viver".
(Mar sem fim - Amyr Klink)

Nem todos no mundo são pequenos. Alguns precisam de mais espaço para esticar as grandes asas que carregam.

Yoshimi disse...

vamo pro riooo!!
deixar a provincia dos limitados pra trás.. viver a base de sol, areia no coqueiro, caipirinha e cigarros..
vai dizer! isso que é vida!!!

(L)

nucci disse...

ih, infelizmente o rio nem ta tudo isso não.. eu sou daqui mas não penso em permanecer.. caro, violento, engarrafado, mal educado, poluído. até os sóis tem sido mais fracos!! mas aqui ainda tem cultura, boas universidades e paisagens, isso salva