sábado, 6 de setembro de 2008

a esquerda brasileira não aprende

Nesses últimos tempos, percebi que algumas pessoas precisam mais de olhar para o seu passado do que serem informadas sobre o que acontecerá no futuro.
Temos uma esquerda que, olhando para os fatos, os distorce propositalmente esperando que quem os leia confunda o conhecimento de um assunto com o fato de ouvir falar nele. Não é a mesma coisa e também não tem nada de novo. É receita velha.
É também a prova de que a esquerda não aprendeu nada. Não aprendeu a diferença entre ser crédulo e estar a serviço de uma causa. É quase comovente verificar a forma como pintaram o mundo para o adaptar aos seus próprios preconceitos. Mas o mundo é real e já tem outras cores.
Curioso é ver o uso da noção de aristocracia, no seu verdadeiro sentido, atribuída a políticos de direita para seu proveito. É o bom uso do poder.
O PT não sabe o verdadeiro sentido de aristocrata, confunde com o costumeiro preconceito da esquerda, e a prova de tal confusão está na sua apreciação sobre a falta de cultura que tem o próprio Presidente da República e a comparação feita com os seus antecessores.
O que realmente os irrita, é a ofensa que a eleição de um político de direita causaria aos seus delicados e empinados narizes. Essa gente não é de esquerda, é esnobe.

2 comentários:

Wury disse...

O trocadilho é infame, mas essa é a EX-querda...

sarah εïз disse...

agora é a situação, mas sempre será a esquerda falastrona