quarta-feira, 17 de setembro de 2008

ressalva

Dizem por aí que, apesar de eu discorrer bem sobre os assuntos, tenho uma escrita inapropriada para mulheres. Considero isso um insulto. Estão confundindo ordinarice séria, que eu me orgulho de produzir, com mera falta de maneiras e mau gosto.
Não sei o que esperariam encontrar aqui, devem ter pensado em uma "receita de bolo de fubá" ou nas "567 maneiras de conquistar aquele gato". Nunca! Logo eu que sempre me gabei de ser como uma caneta Bic, de escrita fina.
Que se foda, não é impróprio e não é vulgar. Aliás, relevo o fato de considerarem "porra" e "caralho" asneiras, pra falar a verdade são das merdas mais meigas pra se dizer e da minha parte, tenho certeza de que me seria impossível viver sem elas.
Obervem. A garota faz um texto bonito, à maneira de um bom botão de rosa palavrar e, no entanto, borra a pintura no fim. Ou seja, no meio do botão de rosa, eu cago nas fuças dele. Isso porque, de alguma forma, a erudição depreciativa exerce um fascínio sobre mim.
A propósito, para estarem tão preocupados com a escassez de delicadeza que impera nesse espaço, cabe uma pergunta pertinente: vocês são viados?

2 comentários:

Wury disse...

Considerando o número de comentários que eu deixo aqui, me sinto livre para responder a sua pergunta do fim do texto:

NÃO!

E pô, bolo de fubá é tão gostoso... Deixa uma receitinha aí!

Petrus disse...

Olha, começo a me perguntar se a heterossexualidade masculina de JF é real...

Ainda bem que sou carioca, e que pra mim seus textos são adoravelmente desbocados. Como eu já disse, faz parte do seu charme, porra.